Seven Lamps of Architeture, by John Ruskin





Chegou aqui na Intellecta mais um livro raro que estamos revendendo. Trata-se do “Seven Lamps of Architeture”, de Ruskin, que, voces sabem, foi o patrono intelectual do movimento Arts and Crafts e colega, portanto, dos tipógrafos kelmscottianos.

John Ruskin (Londres,*1819 – †1900) foi um escritor mais lembrado por seu trabalho como crítico de arte e crítico social británico. Foi também poeta e desenhista. Os ensaios de Ruskin sobre arte e arquitetura foram extremamente influentes na era Vitoriana, repercutindo até hoje.O pensamento de Ruskin vincula-se ao Romantismo, movimento literário e ideológico (final do século XVIII até meado do século XIX), e que dá ênfase a sensibilidade subjetiva e emotiva em contraponto com a razão. Esteticamente, Ruskin apresenta-se como reação ao Classicismo e com admiração ao medievalismo. Na sua definição de restauração dos patrimônios históricos, considerava a real destruição daquilo que não se pode salvar, nem a mínima parte, uma destruição acompanhada de uma falsa descrição. A partir de 1851, foi um defensor inicial e patrono da Irmandade Pré-Rafaelita, inspirando a criação do movimento Arts & Crafts.”Podemos viver sem a arquitetura de uma época, mas não podemos recordá-la sem a sua presença. Podemos saber mais da Grécia e de sua cultura pelos seus destroços do que pela poesia e pela história.Deve-se fazer história com a arquitetura de uma época e depois conservá-la. As construções civis e domésticas são as mais importantes no significado histórico. A casa do homem do povo deve ser preservada pois relata a evolução nacional, devendo ter o mesmo respeito que o das grandes construções consideradas por muitos importantes. Mais vale um material grosseiro, mas que narre uma história, do que uma obra rica e sem significado. A maior glória de um edifício não depende da sua pedra ou de seu ouro, mas sim, do fato de estar relacionada com a sensação profunda de expressão. Uma expressão não se reproduz, pois as idéias são inúmeras e diferentes os homens; segundo os objetos de diferentes estudos, chegar-se-ia a inúmeras conclusões. A restauração é a destruição do edifício, é como tentar ressuscitar os mortos. É melhor manter uma ruína do que restaurá-la.” A influência de Ruskin vai além do campo da história da arte. Leo Tolstoy descreveu Ruskin como “um desses homens raros que pensam com seu coração”. Marcel Proust era um entusiasta de Ruskin e traduziu sua obra para o francês. O Mahatma Gandhi disse que Ruskin foi a maior influência em sua vida. Esta rara e importante edição desta indispensável obra de Ruskin está sendo vendida na Ebay a partir de US$ 25,95. Mas para nossos clientes nacionais está em promoção por apenas R$ 49,90 com frete gratuito para todo o Brasil.

New York Thomas Y. Crowell & Co. Hardcover Very Good. No Jacket 12mo-over 6æ”-7æ” tall. 358 pages; frontis. with protective tissue; 14 plate engravings (illustration engravings from Ruskin’s original drawings); burgundy boards with gilt spine design and lettering; gilt upper edge. Spine top and bottom are chipped, but inside pages and plates are very clean. Front board is spotted and the back board slightly scratched. Otherwise a very good copy. The self-portrait of Ruskin here stamped is not from the book.

John Ruskin (February 8, 1819 – January 20, 1900) is best known for his work as an art critic and social critic, but is remembered as an author, poet and artist as well. Ruskin’s essays on art and architecture were extremely influential in the Victorian and Edwardian eras. Born into the close-knit family of a prosperous wine merchant in London, England, Ruskin attended Christ Church College at Oxford, graduating in 1843 with an MA. He became known as a brilliant critic of landscape painting and a champion of the works of the painter J.M.W. Turner and the Pre-Raphaelites. He later became chair of Fine Arts at Oxford University. Ruskin is viewed by many as a member of a group of men who began the Arts & Crafts movement in England during the latter half of the 19th century. This movement was the forerunner of the American Arts & Crafts movement. Ruskin’s contributions included his avowed dislike for classical works in buildings & art and his substitution of the Gothic with its asymmetry and roughness as the ideal for new art. Along with William Morris, he was critical of the new industrialization taking place in Europe and America. Ruskin’s most radical idea was his total rejection of any machine produced products. He characterized all machine made objects as “dishonest.” He believed, along with Morris, that handwork and craftsmanship brought dignity to labor. He further felt that the factory/industrial work of the age disrupted the natural rhythms of life by imposing artificial hours and conditions on workers. To this end he founded a utopian Arts & Crafts community in 1871. Ruskin is most famous for his two books; “The Seven Lamps of Architecture” (1849) and “The Stones of Venice” (1853). These works established the criteria for judging the value of art(s) for several generations in both Britain and America. If you have any questions or want additional photos, please e-mail me.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: