NOTICIAS TECNOLOGICAS, velhas e novas

1
Google planeja Gmail offline
Alguns novos rumores passaram a circular na internet, indicando que a Google estaria pensando em lançar uma versão do Gmail para ambiente offline, ou seja, estaria prestes a lançar um cliente de email próprio.Para o site Webware, caso a companhia realmente dê um passo certo na direção de um leitor de emails, poderia ser uma bela solução para usuários que não podem estar o tempo todo conectados à internet. O Gmail Offline permitiria aos seus usuários navegar, responder, guardar rascunhos e fazer tudo que o Gmail faz atualmente, sem estar conectado. Então, após se conectar à internet, o cliente automaticamente sincronizaria os dados do computador com os do servidor. Segundo o site Tech.Blorge, no momento a Google nega qualquer boato a este respeito, todavia o site acredita que trazer as capacidades existentes no leitor offline da ferramenta Google Reader (que utiliza o plugin Gears para navegadores) seria um movimento natural. Os rumores circularam pela primeira vez no jornal indiano Hindustan Times, que os atribuiu a fontes extremamente seguras.
2
Sony dá adeus ao formato DVD
A Sony anunciou que doravante vai utilizar o formato Blu-ray em todos os seus gravadores de vídeo digital de alta definição, a serem lançados no Japão. Com isso, a fabricante japonesa mostra que seus planos de dar adeus ao formato DVD estão acelerados. Simultaneamente ao anúncio, feito na quarta-feira (12/09), a Sony apresentou quatro novos modelos de gravadores Blu-ray, com suporte a discos de dupla camada – algo esquecido nos lançamentos do mesmo período do ano passado, lembrou a PC World – e capacidade de decodificar para o formato MPEG4 AVC, aumentando consideravelmente a capacidade de gravação. Com isso, um disco de 50GB, que armazena apenas quatro horas de filme em HDTV no formato MPEG2, passa a guardar 16 horas de gravação. Entre as funções disponíveis nos quatro novos modelos estão gravação de 4X para transferências rápidas de programas de TV do HD para o disco Blu-ray, emissor de áudio HDMI e compatibilidade com AVCHD, formato usado por muitas gravadoras digitais de alta definição e pelas tecnologias Bravia Link e Bravia Premium Photo, da própria Sony. O modelo BDZ-X90 é voltado para uso em cinema doméstico e traz disco rígido de 500GB e recursos para melhorar a qualidade e definição das cores na TV. Para os usuários de gravadoras de alta definição, o BDZ-L70 oferece suporte à transferência de vídeo da linha Handycam da companhia e HD com capacidade de 250GB. Já os modelos BDZ-T50 e BDZ-T70 têm capacidade de armazenamento de 320GB e 250GB, respectivamente, sendo direcionados a quem quer fazer gravações da TV digital. Os novos equipamentos chegam às lojas do Japão dia 8 de novembro, com preços que variam de 140 mil ienes (US$ 1.225), no caso do T50, a 200 mil ienes (US$ 1.750), para o BDZ-X90, com planos de uma produção de 40 mil aparelhos por mês, segundo o The Wall Street Journal. Em termos de comparação, acrescentou a PC World, o preço do gravador de DVD mais barato da Sony disponível no mercado atualmente está na faixa dos 50 mil ienes (US$ 430).
3
Japoneses criam camisas auto-refrescantes
Roupas auto-refrescantes podem ser coisa de ficção científica, mas para uma empresa japonesa não são apenas sinônimo de bom negócio como também uma maneira de ajudar o meio ambiente. Camisas e jaquetas fabricadas pela Kuchou-fuku – literalmente “roupas ar-condicionadas” – mantêm seus usuários confortáveis mesmo em um calor sufocante, usando apenas 1/50 da energia de um pequeno ar-condicionado, disse Hiroshi Ichigaya, presidente-executivo da companhia. “Até agora, o conceito de ar-condicionado implicava em resfriar todo o ambiente. Agora, nós podemos refrescar apenas o corpo”, disse Ichigaya. Duas pequenas ventoinhas costuradas na parte de trás de cada peça de roupa, equipadas com uma bateria recarregável de bolso, fazem o ar circular por toda a pele do usuário, evaporando o suor e mantendo as temperaturas baixas – um alívio bem-vindo para o verão japonês de temperaturas recordes dos últimos dias. As roupas auto-refrescantes estão disponíveis em dez modelos e em uma grande variedade de cores, todas pelo preço de 11 mil yens (96 dólares). Elas são vendidas na Internet e em um número limitado de lojas. A companhia já vendeu cerca de 5.500 peças desde que entrou no mercado há três anos, a maioria para funcionários de fábricas. Mas, embora refresque as roupas, é improvável que elas virem moda. Como as ventoinhas enchem as peças com ar, elas dão ao usuário um visual corpulento ilusório. “Minha filha não vai usá-las porque a forma (da roupa) não é legal”, admitiu Ichigaya.
4
Varejo online terá vendas 45% maior este ano
As vendas do comércio eletrônico brasileiro devem crescer 45 por cento este ano em relação a 2006. As vendas devem chegar em 6,4 bilhões de reais, puxadas por uma expansão na base de clientes e forte incremento no movimento natalino, afirma uma pesquisa da empresa de medição do setor e-bit. Segundo a companhia de pesquisa, 2007 deve encerrar com 9,5 milhões de consumidores online, 35,7 por cento a mais que em 2006. Já a expectativa sobre as compras de Natal, que para a e-bit compreendem o período de 15 de novembro a 23 de dezembro, é de alta de 45 por cento no faturamento, para 1 bilhão de reais. “Esse contínuo crescimento observado na base de e-consumidores é consequência da expansão do acesso à Internet” no país, informou a e-bit na pesquisa. A empresa considera como consumidor online a pessoa que já teve pelo menos uma experiência de compra em alguma loja virtual do país. Segundo estudo da Interactive Advertising Bureau (IAB), citado pela e-bit, até o fim do ano os internautas brasileiros devem constituir um público de 37 milhões de pessoas, incluindo acessos em casa, escolas, cibercafés e empresas. Um levantamento da empresa Ibope//NetRatings mostrou também nesta sexta-feira que os brasileiros bateram em julho recordes de tempo de navegação na Web e do número de internautas com acesso em casa. No primeiro semestre, o varejo online faturou no país 2,6 bilhões de reais, crescimento frente o 1,75 bilhão de reais registrado em igual período de 2006. O preço médio de cada compra foi de 296 reais, aumento de três pontos percentuais sobre o tíquete médio do mesmo período de 2006. Já a base de consumidores foi de 8,1 milhões de pessoas. O comércio de conteúdo online, como músicas, vídeos e jogos, continua fraco, segundo a pesquisa. “Apenas 12 por cento dos e-consumidores brasileiros afirmaram terem feito compras de músicas digitais nos últimos três meses.”

5
Fusão Americanas e Submarino obtém aprovações

O grupo Americanas obteve duas vitórias junto ao governo Federal para efetuar a fusão dos sites Americanas.com e Submarino. Esta semana, a Secretaria de Direito Econômico e a Secretaria de Acompanhamento Econônico, ambos órgãos do ministério da Fazenda, emitiram pareceres favoráveis à fusão das duas lojas de varejo eletrônico. Com as aprovações, o grupo Americanas depende agora apenas do aval do CADE, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Os dois sites anunciaram sua fusão em novembro de 2006. A negociação movimentou US$ 7 bilhões e resultou na criação da empresa B2W. Agora, o CADE analisa se a B2W não vai concentrar mercado de mais. Juntos, os sites Submarinos e Americanas.com detêm 40% do mercado de varejo online.

6

Fundador do Technorari pede as contas
O fundador e CEO do buscador de blogs Technorati, Dave Sifry, deixou seu cargo. Em seu blog pessoal, Sifry afirmou que a empresa já procurava um novo líder há tempos e que um trio de administradores tomará conta do portal por enquanto. A saída do CEO foi acompanhada da demissão de funcionários. Rumores dão conta de que o Technorati está mal das pernas devido ao
crescimento do buscador de blogs do Google. Outra teoria que corre em blogs de bastidores, como o ValleyWag.com, diz que os adminitradores do Technorati esperavam vender o site para
algum grande portal, e isso não deve acontecer. O Technorati faz buscas em cerca de 98 milhões de blogs e conta com pesquisas especiais que usam etiquetas (tags) como filtros.

7

Site prega o bloqueio do
Plugin do navegador é acusado de acabar com a fonte de renda de páginas honestas. O alerta é feito no site WhyFirefoxisBlocked.com, que diz que a extensão Ad Block Plus, para Firefox, vai contra a liberdade de escolha dos proprietários de páginas. O plugin altera a estrutura das páginas, ocultando os comerciais sem o consentimento dos autores. A iniciativa recomenda que internautas adeptos do navegador da Mozilla Foundation passem a usar o Internet Explorer e o Opera. Outra idéia polêmica da campanha é tornar sites incompatíveis com o Firefox. Entre os internautas, a proposta de bloqueio do navegador de código aberto foi recebida com críticas. No portal Digg.com, por exemplo, haviam mais de 550 comentários sobre essa notícia –e a maior parte deles era totalmente contrária à idéia. Juliano Barreto, da INFO
fontes: Geek e Plantão INFO
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: