As Cidades Malditas : Catástrofes Gêmeas

aqui começa uma nova série de posts que venho acalentando há tempos. falarão sobre “Cidades Malditas”, coisa que saberão do que falo quando lerem o post. Este primeiro é bem especial pois falará de tres duplas de cidades gêmeas amaldiçoadas.

1
Sodoma e Gomorra
Estas duas cidades irmãs foram destruídas por Deus, como nos fala a Bíblia. Salvaram-se Lot e alguns dos seus, fugindo da cidade sem olhar para trás, caso em que virariam estátuas de sal. Erik von Daniken tem sua própria teoria sobre a destruição das cidades, que teriam sido destruidas por uma explosão nuclear de bordo de uma nave espacial. Improvável, uma vez que a contaminação radioativa ainda seria registrada na região, mesmo tendo-se passado alguns milhares de anos. Mas para saber mais sobre fatos históricos leia aqui, na Wikipedia.
acima, ilustrações para Sodoma e Gomorra de um artista que eu não saberia pronunciar o nome, que peguei num site numa lingua que nem tenho idéia… mas o link está aqui.

2
Herculano e Pompéia
Herculano (em latim Herculaneum e italiano Ercolano) era uma antiga cidade romana na região da Campânia, província de Nápoles. Ficou muito conhecida por ter sido conservada, junto com a cidade de Pompéia, depois de ter sido soterrada pela cinzas da erupção do Monte Vesúvio, no dia 24 de Agosto do ano 79. Muitos dos seus habitantes morreram devido à erupção, e a cinza modelou seus corpos na posição que estes tinham no momento da sua morte. Apesar de ser menor que sua vizinha Pompéia, Herculano era muito mais próspera.
Pompéia deserta

As escavações na cidade de Herculano começaram no ano de 1738. Ao fim do século XVIII começaram a descobrir uma grande diversidade de objetos, como pinturas murais, mesas de três pés e porcelanas.

O primeiro descobrimento importante de esqueletos romanos do século I se deu em Herculano. Uma vez que os romanos geralmente praticavam a cremação de seus mortos até o século III, ficava difícil encontrar fósseis anteriores a essa época. As escavações realizadas na década de 1990 na área do porto de Herculano trouxeram à luz mais de duzentos esqueletos de diversas idades, sexos e condições sociais.

Pompéia, portanto, assim como Sodoma e Gomorra, também tiveram suas “estátuas de sal”, como vemos na foto.

Para a Arqueologia a descoberta de Pompéia e Herculano foi o estopim de sua disciplina, segundo W Ceram (Deuses, Tumulos e Sábios), onde se debruçou o cientista Winckelman, protótipo dos futuros arqueólogos. Depois de Pompéia, durante o período napoleônico, o mundo passou a ter o espirito mais interssado na pesquisa do passado, mas isto é outra história.

A banda de rock progressivo Pink Floyd gravou um concerto magnífico, uma das melhores obras de cinema e rock de todos os tempos: Live At Pompeii, filme de 1973 de Adrian Maben “Pink Floyd:Live at Pompeii”. O filme apresenta os Pink Floyd atuando num velho anfiteatro em ruínas em Pompeia, Itália, assim como gravações em estúdio e entrevistas à banda, quando da gravação do álbum The dark side of the moon. O ‘concerto’ foi gravado em 4 e 7 de Outubro de 1971 e apresenta a particularidade de não haver audiência. Sim, um poema para os mortos de Pompéia, o filme e o concerto todo é tocado para as ruínas.
“Live at Pompeii”, do Pink Floyd, eu recomendo

3
Hiroshima e Nagasaki
na foto, explosão de Nagasaki
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Na manhã de 6 de Agosto de 1945, a Força Aérea Americana largou a arma nuclear Little Boy na cidade de Hiroshima (Japão), à qual se seguiu, três dias mais tarde, a detonação da bomba Fat Man sobre Nagasaki. As estimativas do número total de mortos variam entre 100.000 e 220.000, sendo algumas estimativas consideravelmente mais elevadas quando são contabilizadas as mortes posteriores devido à exposição à radiação. Mais de 90% dos indivíduos mortos eram civis.

O papel dos bombardeamentos na rendição do Japão, assim como seus efeitos e justificações, foram submetidos a muito debate. Nos EUA, o ponto de vista que prevalece é que os bombardeios terminaram a guerra meses mais cedo do que haveria acontecido, salvando muitas vidas que seriam perdidas em ambos os lados se a invasão planejada do Japão tivesse ocorrido. No Japão, o público geral tende a crer que os bombardeios foram desnecessários, uma vez que a preparação para a rendição já estava em progresso em Tóquio.

A Wikipedia tem um extenso artigo sobre os eventos relacionados e a história dos bombardeiros de Hiroshima e Nagasaki que voce pode ler aqui. Eu possuo também o relatório em espanhol da comissão de engenheiros do projeto Manhattan que visitou Hiroshima para estudar os efeitos dos bombardeiros, agora um documento de livre acesso, que voce pode me solicitar por e-mail. E se voce quiser possuir um documento autentico do período pode adquirir o “Smyth Report”:

A GENERAL ACCOUNT OF THE DEVELOPMENT OF METHODS OF USING ATOMIC ENERGY FOR MILITARY PURPOSES UNDER THE AUSPICES OF THE UNITED STATES GOVERNMENT
1940-1945
“THE SMYTH REPORT”
1ST EDITION – NOT REPRINT

This FIRST edition was published and available to ALL for the first time! Published ONLY six (6) days after the bombing of HIROSHIMA! by H.D. Smyth Chairman of the Department of Physics of Princeton University, Consultant to Manhattan District, U.S. Corps of Engineers Written at the request of Major General L.R. Groves, United States Army, Publication authorized as of August 1945 For sale by the Superintendent of Documents WASHINGTON 25, D.C.

VERY RARE, HIGHLY COLLECTIBLE MILITARY/GOVERNMENT MEMORABILIA – 1ST EDITION WITH DATE OF 1945 ON BOTTOM OF PAGE 182, which is the point for the 1ST EDITION!!! NOT EX-LIBRARY…NEAR PRESTINE CONDITION and YOU WON’T FINE ONE OF THESE JUST ANYWHERE!

A tan softcover book with black cover lettering and blank spine and rear panel. Book measure 6″ x 9″. Age-toning to covers and pages with slightly bent corners only. Previous owner name on top front cover in ink – J.S. Wells. NO further writings, notations, underlinings, etc. 182 age-toned, clean, well bound and untorn pp. Two B&W graphs near end of text. Very mild general shelfwear. Given age AND previous owner name on front cover – NEAR MINT condition.

The Smyth report contained a full account of the development work carried out between 1940 and 1945 by the Manhattan Project, which culminated in the production of the first atomic bomb. The printed version of the “Smyth Report” was preceded by an advance lithoprint issue, of which 1000 copies were printed, and a secret mimeographed issue of which no copies except for Smyth’s master copy remain in existance.

na foto ao lado, capa do “Smyth Report”.

Uma ultima curiosidade: Nagasaki tem ligação histórica indireta com o Brasil, tendo sido, na era do Shogunato, um porto aberto aos navios portugueses

Hiroshima após o bombardeamento
bomba “Little Boy”Memorial da Paz de Hiroshima, um dos poucos prediso que resistiram
bomba “Fat Boy”ruinas de uma igreja católica em Nagasaki
Um relato japonês do bombardeamento descreveu Nagasaki como “um cemitério sem uma única lápide de pé.”

tão fantástico quanto a destruição intrinseca destas cidades é o fato de ter acontecido três vezes na História, eventos tão devastadores a cidades gêmeas. para os místicos, numerólogos e cabalistas de plantão é um prato cheio para elucubrações. nos próximos posts falaremos da cidade abandonada de XXX e da cidade que afundou no velho oeste…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: